Home Atualidade Assembleia Municipal aprovou sem votos contra orçamento 2020 da Câmara Municipal de Baião
Assembleia Municipal aprovou sem votos contra orçamento 2020 da Câmara Municipal de Baião

Assembleia Municipal aprovou sem votos contra orçamento 2020 da Câmara Municipal de Baião

0
0

O orçamento para 2020 da Câmara Municipal de Baião foi aprovado este sábado, 30 de novembro, pela Assembleia Municipal, por larga maioria, com apenas duas abstenções de eleitos do Partido Social Democrata.

Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, apresentou o documento aos deputados municipais explicando, ponto por ponto, as grandes opções tomadas. O documento tem um valor global de 17 milhões e 982 mil euros.

O autarca considera tratar-se de “um orçamento ambicioso, que acomoda os desafios inerentes aos fundos comunitários, de forma a que não se perca um único euro”.

É precisamente esta uma das componentes importantes das Grandes Opções do Plano que assenta nas oportunidades de investimento em equipamentos e ações imateriais que os Fundos Comunitários permitem, nomeadamente com a qualificação do território, dos espaços públicos e do edificado.

Dentro desta linha, sublinhem-se os investimentos apoiados por Fundos Comunitários, como a requalificação do Mosteiro de Sto. André de Ancede, a construção da Biblioteca Municipal de Baião, o Auditório Municipal e diversos arruamentos e arranjos urbanísticos por todo o concelho, assim como o ambicioso projeto de reconversão da iluminação pública para a tecnologia LED, que concorrerá para uma maior eficiência e uma atitude de responsabilidade social e ambiental.

O autarca demonstrou aos deputados municipais a direção do orçamento, que se encontra orientado para mitigar questões como a empregabilidade, mediante a atração de empresas para o território, com a aquisição de terrenos para a ampliação da Zona Industrial de Campelo, para a qualificação da de Eiriz, assim como para a aquisição de terreno para a criação de uma nova em Santa Marinha do Zêzere.

Neste sentido, Paulo Pereira garantiu a manutenção de uma ambiência fiscal atrativa, como o seja a manutenção do não lançamento do imposto municipal da Derrama (sobre os lucros das empresas) ou a manutenção do IMI no nível mínimo permitido por Lei.

Outro eixo essencial na dinamização económica do concelho, é o setor do turismo, um dos pilares de desenvolvimento, onde foi possível ver que o orçamento acomoda diversos projetos de estruturação e programação turística.

De salientar a componente de investimento articulado com todos os Presidentes de Junta, com a transferência   de 561.083 euros para serem geridos de acordo com as suas prioridades, e que se traduzem num conjunto de projetos de proximidade e com grande impacto para os munícipes das freguesias.

Paulo Pereira garantiu que o orçamento tem as pessoas no centro da sua ação procurando “criar oportunidades de investimento por todo o território e, em simultâneo, ir ao encontro das aspirações dos baionenses da forma mais abrangente possível”, rematou.